domingo, 3 de dezembro de 2017

Os 5 piores clichés de sempre

Ao ler muitos livros, nós leitores, começamos a notar que há aspetos que se repetem inúmeras vezes, ao ponto de já ser previsível. De uma maneira geral enfraquecem a história. Apesar de alguns serem clássicos do género e serem exatamente aquilo que os leitores querem que aconteça, como por exemplo: descobrir um cadáver no início de um romance policial.

Irei listar os clichés que mais me incomodam.

1 - O Triângulo amoroso

No meio de livros de fantasia ou ficção-científica, em que  estamos interessados na trama e no universo, mas 90% das páginas consistem na protagonista a pensar qual dos dois rapazes lindo e perfeitos irá escolher.

2 - A Mary Sue

A rapariga feia, pouco importante e com baixa autoestima, que não realidade é linda, poderosa, perfeita e está em todos os livros para adolescente como uma técnica barata para todas as raparigas se identificarem.

3 - As raças de Tolkien

Elfos, Anões e Hobbits são espetaculares na Terra Média, mas dos milhares de sagas de fantasia que usam estas raças apenas estão a repetir um cliché.

4 -  A rapariga frágil que se apaixona por homem forte

Aquela rapariga frágil/sensível/pobre/jovem que se apaixona e é protegida por um homem forte/rico/importante. Não é que em alguns livros não seja bom, mas é algo que se repete em livros românticos.

5 - O criminoso é óbvio

Ao ler um livro policial eu quero ser surpreendida pela identidade do criminoso, concluído que faz sentido, mas não era percetível das primeiras páginas. O que é mais fácil de encontrar é polícias em que o criminoso é alguém que já é descrito como mau ou então não fazer sentido nenhum só para surpreender.

Sem comentários:

Enviar um comentário